Orquestra Clássica do Centro ao vivo no Palácio da Justiça de Coimbra. Grátis!

Resultado de imagem para notícias de coimbra

 

A Orquestra Clássica do Centro atua no dia 1 de Julho, nas instalações do Palácio da Justiça, mais propriamente nos jardins do Palácio da Justiça, em Coimbra.

O Juiz Presidente do Tribunal da Relação de Coimbra – Desembargador Luís  de Azevedo Mendes recorda que “O Tribunal da Relação de Coimbra celebra este ano 100 anos. No dia 8 de Maio fizemos a sessão solene comemorativa, marcámos os cem anos sobre a data da criação do Tribunal da Relação em Diário Oficial, mas no próximo dia 1 de Julho celebraremos os 100 anos sobre a sessão inaugural do Tribunal da Relação, a sessão da sua instalação”.

Portanto, o dia 1 de Julho é a data mais efetiva do Centenário da entrada em funcionamento do Tribunal.
Para assinalar esse dia adequadamente, realizamos pela primeira vez – nunca antes aconteceu – nas instalações do Palácio da Justiça, mais propriamente nos jardins do Palácio da Justiça, um grande Concerto pela Orquestra Clássica do Centro aberto à população, num lindíssimo espaço, uma celebração que será também dos cinco anos da classificação da Rua da Sofia como Património Mundial pela Unesco, na sua lista oficial, e também, de certa forma, associamo-nos ao Ano do Património Cultural Europeu, declarado neste ano”,  acrescenta  Luís de Azevedo Mendes.
 
“A participação da OCC nestas comemorações não só é uma subida honra como será uma data que passa a marcar a história da Orquestra Clássica do Centro. Com direção de Cesário Costa, maestro convidado e um dos grandes maestros da atualidade, o programa tem como tema “ A NOITE” com interpretação de obras de Mendelssohn – “Sonho de uma noite de Verão” , Berlioz – “Les Nuits d’été “ e Felicien David – “La nuit”. No ano em que se assinala também o 100º aniversário do nascimento de L.Bernstein poderemos ouvir o tema “ Tonight “. O concerto conta ainda com a soprano Marina Pacheco e o tenor Mário Alves para além participação especial do ator José Rui Martins. A Justiça permite construir sociedades melhores e a Música é essencial para um melhor viver. O Direito à Cultura e uma Cultura do Direito são pilares de uma sociedade a construir todos os dias. Se a Justiça é o bem maior de uma comunidade, a Cultura / Música /Arte é o indispensável alimento dos que a aplicam, dos que dela são destinatários. Que o concerto seja a celebração do centenário do TRC e o início de uma profícua, continuada colaboração”, declarou Emília Cabral Martins, presidente da Orquestra Clássica do Centro.

 

 

Powered by Marketing Lovers